A inovação dos Veículos Elétricos

A inovação dos Veículos Elétricos

27 de agosto de 2020

Compartilhe

O setor de transportes desempenha um importante papel na economia, seja no deslocamento de pessoas ou de cargas. A busca por inovação neste setor é constante, neste aspecto, quem está conquistando os holofotes são os veículos elétricos. Os veículos elétricos (VE’s) já são uma realidade, isso não dá para negar, mas o que esperar desta tecnologia? Neste post, iremos comentar sobre o assunto.

Fonte: carroeletrico.com.br

Os veículos elétricos não fazem uso de nenhum tipo de combustível fóssil para rodar. Dessa forma, seu deslocamento não emite gases poluentes à atmosfera. Por serem movidos a eletricidade, os carros trafegam de maneira silenciosa, sem contribuir também para a poluição sonora.

Incentivos para o eletrificação da frota

O mercado de veículos elétricos na Europa e nos Estados Unidos vem crescendo em ritmo acelerado ano após ano. Em frente a este crescimento estão as políticas e incentivos governamentais como é o caso da Alemanha que votou pela proibição dos motores de combustão interna até 2030, isso significa que a partir deste ano apenas veículos com motores elétricos, hidrogênio ou outras fontes limpas podem ser vendidos no país.

No Brasil, este mercado ainda é pequeno, segundo os dados da ABRAVEi, de toda a frota de veículos apenas 1673 são elétricos e 4623 híbridos. Mesmo com este pequeno número, o cenário está ganhando forças, um exemplo disto é a chamada de P&D Estratégico nº 22/2018 da ANEEL, para Desenvolvimento de Soluções em Mobilidade Elétrica Eficiente.

Um dos fatores mais importante para a popularização dos veículos elétricos é o desenvolvimento das baterias. As baterias são a alma dos veículos elétricos e também a grande vilã da por trás da história, chegando a custar 80% do valor do veículo. Proporcionar uma maior autonomia e deixá-las mais acessíveis são os objetivos dos desenvolvedores.

Fonte: Nissan Leaf

A maioria dos carros elétricos funcionam com baterias de íon de lítio, que estão se aproximando rapidamente de seu limite teórico de densidade de energia. E para contornar este aspecto as empresas não poupam esforços para encontrar uma forma de avançar. Um exemplo disto é a aposta da Tesla que nos próximos anos poderá produzir em larga escala baterias de alcance mais longo com 50% a mais de densidade de energia.

E a infraestrutura de recarga?

Aquele velho ditado “o que veio primeiro o ovo ou a galinha?” é aplicado aqui também. Antes dos carros elétricos é preciso um mínimo de suporte para a tecnologia. Estações de recarga em locais públicos e rodovias é um alicerce para o aumento do número de VE’s. Uma ferramenta interessante para visualizar os carregadores instalados é o PlugShare, a Figura abaixo mostra todos os carregadores de uso público disponíveis cadastrados na plataforma.

Fonte: PlugShare

Inaugurando a primeira eletrovia Brasileira em 2018, a Copel, Companhia Paranaense de Energia também está contribuindo para o desenvolvimento dessa base de suporte. A eletrovia cruza o estado partindo de Paranaguá até Foz do Iguaçu que faz fronteira com o Paraguai.

Fonte: Copel Energia

A UFSM também faz parte do projeto de mobilidade elétrica eficiente. Sendo a primeira instituição pública do estado a possuir um veículo totalmente elétrico. O projeto visa o desenvolvimento de tecnologias de suporte para os usuários de veículos elétricos além da instalação de um eletroposto gratuito de carga rápida. A UFSM encontra-se no centro do estado do Rio Grande do Sul, logo o eletroposto terá uma importante localização para o desenvolvimento posterior de eletrovias que cruzem o estado.

Fonte: CEESP

Mas de maneira geral quais são as vantagens e as desvantagens da frota de veículos elétricos? A seguir será listada algumas delas.

Vantagens

  • Economia para o deslocamento urbano: os veículos elétricos possuem o modo “econômico” de deslocamento, isto é, quando o veículo é freia ele recarrega as baterias.
  • Possibilidade futura de inserção de energia na rede: Uma tecnologia que está sendo estudada ainda é a V2G. A V2G é basicamente a capacidade de inserir a energia que está armazenada no carro para a rede elétrica. Quais seriam as vantagens disto acontecer? Pensando em tarifas de energia como a ,tarifa branca que em diferentes horários do dia os valores da energia variam, o veículo poderia ser carregado em momentos que a energia é mais barata e injetar na rede (“vendendo”) quando é mais cara, gerando mais economia para os usuários.
  • Isenção de IPVA em alguns estados brasileiros: Os estados do Maranhão, Paraná, Pernambuco, Piauí, Sergipe, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte dão 100% de isenção do imposto para carros elétricos e híbridos.
  • Mantê-lo é mais econômico: Um veículo elétrico gasta o equivalente a R$ 0,08 por quilômetro rodado, enquanto o movido a combustível fóssil gasta em média mais de R$ 0,40. Outra vantagem é a manutenção bem mais simples e com menor periodicidade.

Desvantagens

  • Investimento inicial: os veículos elétricos mais “populares” partem da casa dos R$ 120 mil os deixando menos acessíveis.
  • Estações de recarga: como o mercado ainda está em estágio embrionário a falta de infraestrutura de suporte para os usuários é predominante.
  • A baixa autonomia: a autonomia média dos veículos vendidos no Brasil é por volta de 300 km em condições ideais, bem abaixo da autonomia dos veículos da Tesla por exemplo que possuem autonomia perto da casa dos 600 km.
  • Reciclagem das baterias: Jörg Zimmermann, do IWKS relata “Os maiores desafios não estão apenas na recuperação de material de qualidade, mas começa logo no início com a desmontagem da bateria. Isso não funciona automaticamente.”

O texto de hoje aborda as curiosidades que cercam os veículos elétricos, que serão realidade em um futuro não tão distante. E aí, está ansioso para os veículos elétricos?

Espero que tenha curtido a leitura e nos vemos no próximo!

Publicado por: ,Henrique Horquen Martins

blog

Posts Relacionados

9 de marzo de 2022

La Telemetría, la Medición Inteligente o la AMI (infraestructura de medición avanzada) son todos términos utilizados para la actividad de lectura remota de...

25 de noviembre de 2021

Como ya saben, operamos en el mercado de Energía Eléctrica, con soluciones de monitoreo inteligente de transformadores y redes...

19 de noviembre de 2021

¿Cómo funciona el proceso actual de medición? Actualmente, la lectura del consumo de energía eléctrica de los usuarios residenciales se realiza...